Atlético Paranaense x Newell’s Old Boys

O Atlético Paranaense estreia na Conmebol Sul-Americana nesta quinta-feira (12), às 19h15, diante do Newell’s Old Boys, da Argentina. Para o jogo, os portões do Estádio Joaquim Américo serão abertos às 17h15.



Os acessos aos Setores serão os mesmos utilizados nas últimas partidas do Furacão em casa. Os Sócios e torcedores do Setor Getúlio Vargas Superior entrarão pela Rua Cel. Dulcídio, pelos Portões I e J. Já o acesso ao Setor Getúlio Vargas Inferior seguirá pela esplanada da Rua Buenos Aires [próximo a Av. Getúlio Vargas], através dos Portões F e G.

A entrada do Setor Cel. Dulcídio Inferior será novamente através do Portão O, mesmo acesso do Setor Brasílio Itiberê Inferior.



Assim como nas últimas partidas, os Sócios do Setor Buenos Aires Inferior poderão optar por assistir ao jogo no Setor Getúlio Vargas Superior. Já os Sócios do Setor Getúlio Vargas poderão assistir à partida no Setor Brasílio Itiberê Superior, caso desejarem. Em ambos os casos, basta acessar normalmente os Setores correspondentes pelos portões indicados no mapa abaixo. Não é necessário comunicar antecipadamente a mudança ao Espaço Sócio Furacão.

É importante ressaltar que os Sócios dos Setores Buenos Aires Inferior e Getúlio Vargas Superior que optarem pela troca de Setor neste jogo deverão ocupar os assentos livres [não terão lugar marcado]. Uma vez dentro do estádio, não será permitida a troca de Setor. Os Sócios que permanecerem em seus setores, continuarão com seus lugares marcados.



Assim como nas últimas partidas, os Sócios do Setor Buenos Aires Inferior poderão optar por assistir ao jogo no Setor Getúlio Vargas Superior. Já os Sócios do Setor Getúlio Vargas poderão assistir à partida no Setor Brasílio Itiberê Superior, caso desejarem. Em ambos os casos, basta acessar normalmente os Setores correspondentes pelos portões indicados no mapa abaixo.

Não é necessário comunicar antecipadamente a mudança ao Espaço Sócio Furacão. É importante ressaltar que os Sócios dos Setores Buenos Aires Inferior e Getúlio Vargas Superior que optarem pela troca de Setor neste jogo deverão ocupar os assentos livres [não terão lugar marcado]. Uma vez dentro do estádio, não será permitida a troca de Setor. Os Sócios que permanecerem em seus setores, continuarão com seus lugares marcados.

Os hóspedes que estão no Guaíra Palace Hotel para esse jogo internacional podem conferir no mapa a melhor forma em chegar ao estádio:



A história da Arena da Baixada começou em 1914, quando o presidente do Internacional Foot Ball Club, Joaquim Américo Guimarães, comandou a construção de um estádio no coração do bairro Água Verde. Após a fundação do Clube Atlético Paranaense, em 1924, o Rubro-Negro começou a utilizar o estádio, batizando a praça esportiva com o nome do principal responsável pela construção.

Entre 1937 e 1939, o estádio sofreu a primeira grande modificação com a instalação da arquibancada de concreto coberta. A segunda reforma ocorreu em 1967, com a construção de novos degraus na arquibancada, novos vestiários e alambrados.

O primeiro sistema de iluminação do Joaquim Américo foi instalado em 1980. Neste mesmo ano, o estádio foi novamente ampliado. Em 1986, o Atlético Paranaense passou a mandar seus jogos no estádio do Pinheirão e só voltou a jogar no local em 1994, após ampla reforma e ampliação.



A revolução

O dia 26 de maio de 1995 é uma das datas mais importantes na história do Atlético Paranaense. Foi em uma reunião neste dia que o Clube passou por sua maior revolução. Uma Comissão Gestora, liderada por Mario Celso Petraglia, foi criada e implantou uma nova filosofia. A partir deste momento, o Atlético Paranaense começou a ser administrado de maneira competente e profissional.

Passados dois anos da revolução, o Atlético iniciou uma nova etapa em sua vida. Em dezembro de 1997, o estádio recebeu a sua maior alteração e iniciou a construção da Arena, em um projeto ousado e inovador. A inauguração, no dia 24 de junho de 1999, foi um dos maiores espetáculos que a cidade de Curitiba já presenciou.

A empolgação da torcida era algo contagiante, pois durante os 18 meses de construção muitos acompanharam as obras no Mirante, que virou um ponto de encontro dos rubro-negros e também serviu como local para a conquista de novos atleticanos. Desde a parte interna do estádio, com a praça de alimentação, o acesso em diversas escadas e elevadores, chegando as arquibancadas, coladas ao campo, criando mais uma vez o Caldeirão do Furacão, tudo era comentado e fotografado pela torcida.

Após o hino, as equipes do Atlético Paranaense e Cerro Porteño, do Paraguai, entraram em campo para a primeira partida. E, assim como na volta da antiga Baixada em 1994, o Furacão venceu seu jogo de estreia.

Atuando novamente em seus domínios, o Atlético Paranaense conseguiu resultados expressivos que levaram a conquistas como Seletiva da Libertadores (1999), o Campeonato Brasileiro (2001) e dois vice-campeonatos: Brasileiro de 2004 e Copa Libertadores da América de 2005. Dez anos depois da construção, o Clube inaugurou o Setor Brasílio Itiberê na vitória por 1 a 0 sobre o São Paulo, no Campeonato Brasileiro.

A última transformação no estádio aconteceu em 2014, quando a casa rubro-negra foi ampliada e reformulada para receber os jogos da Copa do Mundo. Durante o Mundial, foram quatro partidas disputadas: Irã 0x0 Nigéria, Honduras 1x2 Equador, Austrália 0x3 Espanha e Argélia 1x1 Rússia.

Após a Copa do Mundo, em 2015, o estádio também se tornou o primeiro da América Latina e do Hemisfério Sul (construído para o futebol) a possuir a tecnologia retrátil em seu teto, que permite a realização de partidas e eventos independentemente das condições climáticas. Em 2016, foi instalado gramado sintético com o certificado FIFA Pro.



Com capacidade para 43 mil torcedores em jogos de futebol, a estrutura pode receber até 60 mil pessoas em eventos com total conforto e segurança aos frequentadores. Dentre os itens, estão a cobertura total de todas as cadeiras, infraestrutura de última geração, espaços de imprensa, estacionamento coberto, Setor VIP e camarotes, amplos vestiários para atender aos protagonistas do espetáculo, além de acessibilidade para pessoas com necessidades específicas.