Setembro é um mês perfeito para conhecer Curitiba

Setembro é um mês interessante para viagens para Curitiba, afinal nesse mês abre-se a temporada onde as temperaturas estão bem amenas, não há grandes variações de tempo e clima, poucas chuvas e umidade relativa do ar satisfatória, que são condições ideais para programações de turismo ao ar livre e passeios a pé. Veja aqui no site do Guaíra Palace Hotel, cinco dicas para você ter uma ótima viagem à capital do Paraná e, clicando nos nomes das localidades, você encontra o trajeto para chegar ao ponto turístico

Jardim Botânico

O primeiro da lista é cartão-postal de Curitiba, o Jardim Botânico. Em uma área com folhas e flores variadas, é possível passar boa parte do dia por seus jardins geométricos. Na famosa estufa de três abóbadas, o turista conhece várias espécies de plantas nacionais e ainda tem uma linda vista da cidade.



O parque ainda conta com o Museu Botânico Municipal, trilhas por um bosque de araucárias, quadras para a prática de esportes, um lago e um espaço cultural. É comum encontrar curitibanos correndo ou caminhando pelas ruelas do parque, e fazendo piqueniques nos gramados.

O parque tem estacionamento, banheiros, lanchonete e um centro de informações turísticas.



Parque Barigui

O Parque Barigui é um espaço público que preserva a mata nativa e é refúgio para animais de várias espécies. A área de preservação natural fica na região central de Curitiba e abriga 1.400.000 m² de puro verde. Quem passeia pelo local, pode encontrar com tranquilidade as garças-brancas, os preás, os quero-queros e tico-ticos. Mas, se tiver sorte, vai dar de cara com um antigo morador do parque, o jacaré-do-papo-amarelo. Há anos, o jacaré adulto costuma tomar banhos de sol super de boas às margens do lago.



O passeio pelo parque proporciona inúmeras atividades de lazer como corridas, caminhadas, espaço para andar de bicicleta e patins, quadras esportivas, área de churrasco, parquinho para crianças e academia ao ar livre. Além disso, o turista ainda pode visitar o pavilhão de exposições e o Museu do Automóvel.

A área possui banheiros públicos e privados, três estacionamentos, restaurantes e lanchonetes. Vários pontos do parque possuem rampas de acessibilidade para pessoas com necessidades especiais.

Parque Tanguá

Construído em um antigo complexo de pedreiras desativadas, o Parque Tanguá oferece lindas paisagens vistas de um mirante espetacular. Logo na chegada, o imenso jardim em estilo francês e o espelho d’água já deixam o local com o ar mais prazeroso, convidando ao passeio.



O parque ainda conta com estacionamento, ciclovia, pista para corridas e caminhadas, banheiros, lanchonete e até um túnel artificial que pode ser visitado de barco ou a pé. O ponto alto da visita é o bistrô à beira do lago, de onde dá para apreciar a cascata que desce do Belvedere.

Parque Tingui

O nome Tingui é uma homenagem ao povo indígena que habitou a região de Curitiba. O Parque Tingui, às margens do Rio Barigui, funciona como um museu a céu aberto. Nele é possível conhecer um pouco da cultura dos índios que ali habitaram. Logo na entrada se vê a estátua do cacique Tindiquera, líder da tribo, feita pelo artista plástico Elvo Benito Damo.



No parque também dá para conhecer um pouco sobre a cultura ucraniana, umas das principais colonizadoras da região. O Memorial Ucraniano, localizado na réplica de uma igreja tipicamente ucraniana, a loja de artesanato e o monumento em forma de pêssanka formam o complexo onde são realizados diversos eventos culturais e exposições.

O Tingui ainda é cheio de pistas para a prática de esportes, quadras de futebol e vôlei, parquinho, quiosques para churrasco e diversas pontes. Possui banheiros e estacionamento gratuitos.

Parques de Curitiba: Bosque Alemão

O Bosque Alemão é o parque que une cultura e natureza, ideal para levar as crianças. Isso porque existe um percurso por uma trilha calçada e bem marcada que relembra a história de “João e Maria”, escrita pelos irmãos Grimm.




Entre as passagens está a Casa das Bruxas, um espaço onde os pequenos podem desenvolver o interesse pela leitura através da biblioteca e da contação de histórias. A “Hora do Conto”, que acontece em horários especiais deixa o passeio ainda mais divertido.



Outros pontos a serem visitados no bosque são o Oratório Bach, com sala para concertos, a Torre dos Filósofos, com 15 metros de altura, e o pórtico que reconstitui a fachada da Casa Milla, construída no início do século, e que representa a arquitetura da imigração alemã, com a varanda original da residência.

O parque tem banheiros e lanchonete.