Confira cinco programas para aproveitar Curitiba no verão

Curitiba pode não ter praia, mas o que não faltam são atrações imperdíveis para curtir a capital durante o verão, que começa nesta sexta-feira (21/12) à noite. Os famosos parques, jardins e praças são verdadeiros imãs para moradores e turistas que buscam explorar a cidade na estação mais quente do ano. Também não faltam programas repletos de cultura, história e gastronomia. Além disso, até o dia 6 de janeiro, é possível apreciar a bela decoração de Natal que se espalha por toda a cidade.

Silenciosos ou animados, relaxantes ou para atividades físicas, bucólicos, românticos ou para encontrar os amigos. Há parques, bosques e jardins em Curitiba para todos os gostos e preferências. Seja o Barigui, o Tingui, o Bosque do Papa, o Jardim Botânico, o Tanguá, o Passaúna ou o Lagoa Azul, é impossível não passear pela capital sem cruzar com alguns deles. - Na imagem, Parque Tanguá. Foto: Ricardo Marajó/FAS
 
Curitiba é uma cidade aprazível, boa de caminhar, com ruas planas em sua maioria, clima ameno, repleta de áreas verdes, atrações culturais e serviços públicos e privados que a tornam um destino obrigatório o ano todo. No verão, é claro, a capital ainda fica mais atraente para ser explorada.

Como os parques são a “praia” dos curitibanos, em janeiro e fevereiro, a Prefeitura promove a Operação Verão Curitiba, que vai transformar áreas verdes da capital em pontos de diversão durante os finais de semana. 

Silenciosos ou animados, relaxantes ou para atividades físicas, bucólicos, românticos ou para encontrar os amigos. Há parques, bosques e jardins em Curitiba para todos os gostos e preferências. Seja o Barigui, o Tingui, o Bosque do Papa, o Jardim Botânico, o Tanguá, o Passaúna ou o Lagoa Azul, é impossível não passear pela capital sem cruzar com alguns deles. -Na imagem, Parque Barigui. Foto: Cesar Brustolin/SMCS (arquivo)


A programação se espalhará pelos parques Barigui, Náutico, Lago Azul e Passaúna e será coordenado pela Secretaria do Esporte, Lazer e Juventude (Smelj), com apoio do Instituto Municipal de Turismo, da Fundação Cultural de Curitiba e da Secretaria Municipal de Saúde. O lançamento da operação ocorre no dia 11 de janeiro.



Confira as sugestões de cinco programas para aproveitar a estação mais quente do ano em Curitiba:

Sombra, trilhas e pôr do sol nos parques e jardins


Silenciosos ou animados, relaxantes ou para atividades físicas, bucólicos, românticos ou para encontrar os amigos. Há parques, bosques e jardins em Curitiba para todos os gostos e preferências. Seja o Barigui, o Tingui, o Bosque do Papa, o Jardim Botânico, o Tanguá, o Passaúna ou o Laga Azul, é impossível não passear pela capital sem cruzar com alguns deles.

No verão, as sombras das árvores, lagos, túneis, trilhas, cascatas, belvederes, pontes, obras de arte e flores são um convite para caminhar, correr, fazer um piquenique ou simplesmente contemplar a vida sentado no gramado, sob uma guabiroba ou paineira.

Silenciosos ou animados, relaxantes ou para atividades físicas, bucólicos, românticos ou para encontrar os amigos. Há parques, bosques e jardins em Curitiba para todos os gostos e preferências. Seja o Barigui, o Tingui, o Bosque do Papa, o Jardim Botânico, o Tanguá, o Passaúna ou o Lagoa Azul, é impossível não passear pela capital sem cruzar com alguns deles. - Na imagem, Parque do Lago Azul Foto: Maurilio Cheli/SMCS


Mas se o calor bater demais, a maioria dos locais oferece atrações mais “refrescantes”, como cafés, bares e restaurantes. Com o horário de verão, também não deixe de apreciar o pôr do sol nestes espaços verdes e também em um dos lugares mais disputados para a contemplação do fim do dia, a Praça das Nações, no Alto da XV, que também atrai pelo famoso caldo de cana e pelo belo painel de 23 metros do artista paranaense Potty Lazzarotto. No Passaúna, é claro, uma atração a mais é a prática do stand up paddle, oferecida por uma empresa Passaúna Paddle Club.

Nas feiras gastronômicas e noturnas, muitas comidinhas

As feiras gastronômicas e noturnas, administradas pela Secretaria Municipal de Agricultura e Abastecimento (Smab), são uma viagem pela culinária de várias partes do mundo e ficam ainda mais disputadas durante o verão, quando fecham mais tarde (confira os horários no link dasnoturnas e gastronômicas).

As feiras gastronômicas e noturnas, administradas pela Secretaria Municipal de Agricultura e Abastecimento (Smab), são uma viagem pela culinária de várias partes do mundo e ficam ainda mais disputadas durante o verão, quando fecham mais tarde. Foto: Levy Ferreira/SMCS

Nelas, os visitantes encontram acarajé, bolinho de bacalhau, pierogi, empanadas chilenas, crepes franceses, sushis e outros pratos da culinária internacional. De quinta a sábado, ocorrem as feiras gastronômicas do Cristo Rei, Capão Raso e Batel, respectivamente. Já as feiras noturnas, que também contam com uma banca de hortifrutigranjeiros e ocorrem de terça a sexta, somam nove pontos, como a de Santa Felicidade (terças), a do Bacacheri (quartas), a da Água Verde (quintas) e a disputadíssima da Praça Ucrânia, no Bigorrilho (sextas).

Cerveja artesanal de Santa Felicidade ao Hauer

Para os apaixonados pelo mundo da cerveja artesanal, um programa imperdível no verão é o CuritiBéra, roteiro cervejeiro da Grande Curitiba criado pelo Instituto Municipal de Turismo. Considerada a capital nacional da cerveja artesanal, Curitiba (e região) concentra a maior produção brasileira, com 33 cervejarias e cerca de 400 mil litros mensais.

Imagine você dentro de um trem, partindo de Curitiba rumo à Serra do Mar, onde é servida muita cerveja artesanal, toque rock'n'roll e ainda tenha alguém que se apresente com gaita de fole. Foto: Divulgação


No Hauer, dá para conhecer, aos sábados, a fábrica da Bodebrown, que produz 36,7 mil litros por mês e 56 tipos de fermentados. Os tours gratuitos ocorrem das 12h às 13h (é necessário agendamento). No Boqueirão, o passeio pode ser feito na Swamp Brewing, pequena cervejaria que recebe o público gratuitamente aos sábados, entre 12h e 19h (não é necessário agendamento prévio). A Gauden Bier, de Santa Felicidade, tem giro pela fábrica às sextas, às 16h, e aos sábados, às 10h. Custa R$ 15 por pessoa e inclui degustação. Também é necessário agendamento prévio.

Cultura, fé e feirinha no Centro Histórico

O Centro Histórico da capital merece ser visitado no verão por turistas e moradores da capital. Democrática, a região reúne praças, largos, museus, galerias de arte, espaços culturais, igrejas e casarões muito bem preservados, além de bares e diversas opções gastronômicas.

A Casa Romário Martins, o Memorial de Curitiba, o Solar do Rosário, o Solar do Barão (Museu da Gravura e Gibiteca) e o Museu Paranaense são apenas alguns exemplos dos espaços culturais que se espalham - quadra a quadra – pela região.

Há templos de diferentes religiões, que podem ser visitados em uma caminhada tranquila, como a Igreja da Ordem (mais antiga da capital), a Igreja Presbiteriana Independente (Rua do Rosário, 218), a Igreja do Rosário (Praça Garibaldi), a Catedral Basílica Menor (Praça Tiradentes), a Mesquita Imam Ali Ibn Abi Talib (Rua Kellers, 383) e o Templo Hare Krishna (Rua Duque de Caxias, 76).

Centro Histórico de Curitiba


Os bares e casas noturnas das ruas Trajano Reis e São Francisco caíram nas graças dos hipsters, jovens antenados em cultura, cervejas artesanais e bicicletas. Nas manhãs de domingo, o programa obrigatório é a tradicional Feira do Largo da Ordem, na Praça Garibaldi, com seus 1,3 mil expositores.

City tour com a “jardineira” da Linha Turismo

A cara do verão, a Linha Turismo Curitiba é um ônibus especial (double deck ou jardineira) que cobre praticamente todos os cartões-postais da cidade. O veículo passa de 30 em 30 minutos e percorre cerca de 45 quilômetros em duas horas e meia (tempo corrido sem descer nos pontos de parada).

Como chegar ao ponto inicial da Linha Turismo


Ao embarcar, o morador ou turista compra uma cartela com cinco tíquetes e tem direito a um embarque e quatro reembarques. Um serviço de som a bordo explica sobre as atrações em português, espanhol e inglês. A pessoa ainda ganha um mapa explicativo com o roteiro.

Linha Turismo. Curitiba,10/04/2018. Foto: Luiz Costa/SMCS

São 25 pontos de parada: Praça Tiradentes, Rua da Flores, Rua 24 Horas, Museu Ferroviário, Teatro Paiol, Jardim Botânico, Mercado Municipal, Teatro Guaíra/Universidade Federal do Paraná, Paço da Liberdade, Passeio Público/Memorial Árabe, Centro Cívico, Museu Oscar Niemeyer, Bosque do Papa, Bosque Alemão, Universidade Livre do Meio Ambiente, Parque São Lourenço, Ópera de Arame, Parque Tanguá, Parque Tingui, Memorial Ucraniano, Portal Italiano, Santa Felicidade, Parque Barigui, Torre Panorâmica e Setor Histórico. O passeio custa R$ 45 por pessoa.